(es) colhendo


Uma escolha...
Logo após, uma conquista - um mundo,
muito além de todos os absurdos...
Canções, sorrisos, ciúmes
subisitindo no sufoco do desapego.
Uma fuga! Já to distante dos erros
muito próximo de convicções abstractas,
prefiro verdades insensatas, um falso - amigo,
um falso - abrigo. Posso esconder - me atrás do sorriso.
Danço! Enlouqueço;
Mergulho intrépido no oásis sem fim,
como as verdades, um sorriso de mim à mim.
Tomado como um gole, um beijo abrupto, corrupto,
dos lábios gelados, cedidos, tomados...
Uma lúcida caída para fora de engrenagem
e já estamos num deleite suave
de como quem nada espera da vontade de tudo,
sentindo o esmero, gozando, sem sequer uma única entrega.
De volta no sistema, sem perder a memória
revela - se toda a historia jamais vivida,
bastante compreensível para quem se afogou
no esquema insensível e invisível do sistema absoluto.
Guarda - se na memória o fato jamais falado,
e pra além disso, o sentido sentido do momento audaz
na eterna procura da tenra ternura...

Um comentário:

fabiohare disse...

o bom da vida (e dos olhos) é q temos Fernando, Augusto e Sweetdoll Face.
rsrs