"Vivemos no caos, dormindo em camas confortáveis.
Apenas crianças..."

Um comentário:

giselle B. disse...

Isso me fez lembrar de : "...fechando os olhos e mordendo os lábios, sinto vontade de fazer muita coisa".
Desde a infância trazia comigo muitos sonhos, desejos e vontades, mas como uma escrava açoitada me sinto com as costas em carne viva, fraca e sem ânimo. Como que se tivesse chance zero na infinidade que devora minha unidade.